Highslide for Wordpress Plugin

Oremos pela Somália, esquecida e desprezada pelo mundo

“Há algo de sagrado nas lágrimas…”

O pai de Maryan Abdullahi tinha um voo de Londres até a capital da Somália no domingo passado para participar do momento mais feliz da vida da filha: o dia de sua formatura. Da noite para o dia, porém, ele precisou mudar dramaticamente o motivo da viagem e embarcou para enterrá-la.

No sábado, a jovem de 22 anos terminava os últimos preparativos para se formar depois de anos estudando medicina quando um enorme caminhão-bomba explodiu no meio de uma rua de Mogadíscio por onde a jovem passava de carro com alguns amigos.

Maryan Abdullahi tinha falado por telefone com sua irmã 20 minutos antes de morrer. Ela amava e era amada. Agora, depois de morta, nós a conhecemos: conhecemos o amor da sua família, suas expectativas, suas alegrias, sua conquista, sua esperança, e podemos contá-la aos outros.

As histórias sobre o amor e as esperanças humanas devem ser contadas. Contemos as histórias de amor e de esperança para que as forças da morte não nos vençam.

O escritor norte-americano Washington Irving escreveu, muitas décadas atrás:
Há algo de sagrado nas lágrimas.
Não são a marca da fraqueza, mas do poder.
Falam com mais eloquência do que dez mil línguas.
São as mensageiras da esmagadora tristeza (…)
e do mais inexprimível amor.
Depois do tiroteio de Las Vegas, uma famosa colunista política dos Estados Unidos, Kirsten Powers, declarou que o fato de as pessoas enviarem ao éter “pensamentos e orações” parecia quase um ato “profano”. Ela não chegou a dizer que a oração seja inútil —aliás, reconheceu que a oração é “imperativa”—, mas nos leva a observar que, depois de algum tempo, é difícil evitarmos a sensação de impotência diante de tão absurdos sofrimentos.

Ainda assim, Washington Irving tem razão. As lágrimas não são um sinal de fraqueza, porque há muito poder na força do amor humano, que espera, que se alegra, que reza e que também chora. Contemos as histórias humanas de amor e esperança; choremos quando elas doem; e busquemos além desta vida as forças que parecem nos fugir.

Oremos pela Somália

Ó Maria, Mãe de Jesus,
olhai do céu para os vossos filhos que sofrem
e rogai por nós.
Que aqueles que sofrem na Somália
e em todo o mundo
conheçam a consolação
e o amor que cura,
oferecido por Deus, Todo-Poderoso e Vivo,
ao seu povo.
Nós vos pedimos pelos feridos,
que precisam de saúde;
pelos que partiram desta vida,
para que recebam o Abraço Eterno do Pai;
pelas famílias dilaceradas,
para que tenham a força de se reconstruir;
pelo povo da Somália,
para que desfrute finalmente da paz;
pelos assassinos,
para que se convertam da escuridão
à luz maravilhosa de Deus.
Ó Maria, concebida sem pecado,
rogai por nós que recorremos a Vós.

Fonte: pt.aleteia.org